7 tendências de transformação digital para 2020

Opensoft > Blog  > 
7 tendências de transformação digital para 2020

7 tendências de transformação digital para 2020

A transformação digital dos negócios vai continuar a marcar a atualidade (e 2020 não será exceção). É um caminho obrigatório para qualquer organização que pretenda manter-se eficiente e competitiva. Mas onde é que as organizações se devem concentrar? Vamos ajudar, partilhando quais as tendências de transformação digital para 2020.

 

Já falamos que ter uma estratégia digital é fundamental para tirar o melhor partido de cada investimento feito no âmbito da transformação digital, mas estar atento às tendências do mercado é igualmente relevante. Até porque pode ajudar a evitar erros e a identificar oportunidades.

 

Analisámos as principais tendências de transformação digital para 2020 e identificámos quais as que prometem influenciar o mercado este ano. Conheça-as antes de colocar novos investimentos em marcha!

 

1. Dados: o novo petróleo que continua a ser uma dor de cabeça

 

Todos sabemos que a informação faz a diferença na competitividade de um negócio, mas para a poder utilizar é necessário ter capacidade para recolher, armazenar, gerir e extrair valor desses dados, convertendo-os em informações relevantes para o negócio.

 

Vários especialistas sustentam que definir e implementar políticas de gestão de dados é um desafio inadiável, de forma a garantir segurança, agilidade e privacidade.

 

2. Analítica e Big Data tornaram-se indispensáveis

 

As tecnologias que permitem integrar e obter conhecimento valioso a partir de dados não estruturados e oriundos de diferentes fontes são hoje indispensáveis para potenciar todo o investimento realizado na digitalização do negócio.

 

O relatório Transformation Trends Shaping 2020 da MuleSoft sublinha que 83% dos decisores da área tecnológica ainda identifica entraves à utilização de dados nas suas organizações, no entanto, também mostra que, entre as empresas analisadas com melhor desempenho, mais de dois terços já ultrapassou esses entraves.

 

Se a sua organização ainda não está a tirar partido desta tendência, 2020 pode ser um bom momento para começar a implementá-la.

 

3. Inteligência artificial: para o bem da sua empresa, não há como escapar

 

“A inteligência artificial é uma das tecnologias que vai ajudar a normalizar o mercado da transformação digital e a converter a expressão em resultados de negócio tangíveis”, antecipa a TBR no último relatório sobre transformação digital. Os algoritmos de machine learning atingiram uma maturidade que lhes permite recolher conhecimentos com um detalhe e rapidez que não está ao alcance de equipas humanas, acrescenta a consultora.

 

Neste, como em outros domínios da IA, é uma questão de tempo até que a tecnologia se torne um diferencial crítico na competitividade e viabilidade das organizações. Segundo a IDC, em 2025 as empresas suportadas em sistemas com IA conseguirão responder a alterações de mercado em metade do tempo que as restantes.

 

4. Mais cloud, novos horizontes

 

Os fornecedores têm adicionado às ofertas cloud ferramentas de automação, capacidade analítica, IA e outros serviços e soluções que permitem acelerar a adoção de novas tecnologias e fazê-lo a custos muito mais baixos que noutros contextos (face ao desenvolvimento interno, por exemplo). A Pace Harmon defende que 2020 é o ano de viragem, em que estas funcionalidades da cloud e a inovação que podem permitir vão superar o interesse nos serviços cloud em relação aos motivos mais “tradicionais”, como a eficiência, a escalabilidade ou os custos.

 

Uma nota ainda para o edge computing, que continua a ganhar espaço. A capacidade de levar o processamento de dados para as fronteiras da rede e colocá-lo diretamente em dispositivos ou em gateways fisicamente próximos destes é um caminho para melhorar velocidade e desempenho. É uma nova era da computação distribuída a emergir, que a Internet das Coisas (IoT) absorve e o 5G vai potenciar.

 

5. Chega o 5G e abrem-se as portas para o IoT

 

Para as empresas com projetos na área da IoT, 2020 será sem dúvida um ano de expectativa. É o ano do 5G. A massificação não acontecerá já nos próximos meses, mas o lançamento dos primeiros serviços comerciais é garantido.

 

A suportá-los estão poderosas redes que vão mudar radicalmente o potencial das comunicações sem fios, das tecnologias que sobre elas funcionam, como o IoT, e dos ecossistemas que aí assentam: cidades inteligentes, carros conectados, fábricas inteligentes, etc. “O verdadeiro valor do 5G não ficará limitado aos telefones. Cada indústria que toca as nossas vidas diariamente vai ser transformada – para melhor – pela evolução tecnológica que definirá 2020”, sublinha Daniel Newman, analista e colunista da revista Forbes.

 

6. Experiência de utilização veio para ficar

 

Não há projeto de transformação digital que não seja sinónimo de agilidade e a eficiência ou que não privilegie mecanismos para simplificar a vida de quem vai usar as soluções digitais que dele fazem parte. Esta preocupação com a UX (User Experience) não é nova e continuará a ganhar espaço e meios para ser afinada em 2020. Tecnologias como a inteligência artificial estão a abrir um novo mundo de oportunidades para proporcionar a melhor experiência de utilização em qualquer site, app ou serviço online.

 

Um site que não está otimizado é abandonado por 80% dos visitantes, revela um estudo da Imaginovation, que aponta as métricas de UX como um contributo valioso para perceber se o utilizador gosta do que vê. A IA está a alimentar cada um destes indicadores com novos dados, mais ricos e aprofundados, e nos próximos meses esta tendência de transformação digital tende a intensificar-se.

 

7. Fusões, aquisições e parcerias

 

No último ano várias movimentações animaram o mercado, com empresas tradicionais a diversificarem portefólios e competências por via de aquisições ou parcerias. Muitos especialistas acreditam que em 2020 este movimento continuará. Em 2025 um quinto das receitas das tecnologias de informação virão de ofertas que combinam parceiros de indústrias tradicionalmente distantes, quantifica a IDC (FutureScape 2020).

 

É um desafio para os CIOs das organizações envolvidas e um sinal para o mercado, de que os ecossistemas empresariais estão a redefinir-se. Co-criar e colaborar está a revelar-se um meio rápido de chegar a novas áreas e pode assumir várias formas. Integrar APIs externas tem sido uma das mais comuns e este ano continuará certamente em destaque. Segundo a Forrester o uso de APIs externas triplica a possibilidade de aumentar receitas em 15%.

 

 

Nos próximos tempos a realidade confirmará se estas tendências de transformação digital vingam e em que medida, sendo certo que a digitalização das organizações é um caminho sem retorno, com muito valor para devolver a quem consiga identificar e seguir o melhor rumo para a sua atividade.

 

 

Sem comentários

Deixe um comentário

Comentário
Nome
Email
Website