Como escolher um parceiro de transformação digital?

Opensoft > Blog  > 
Transformação digital: como escolher o parceiro certo para a sua organização?

Como escolher um parceiro de transformação digital?

Estávamos no final do século XVII quando a máquina a vapor iniciou aquela que ficaria conhecida como a primeira revolução industrial. Desde então, muita coisa mudou e o mundo passou por um conjunto profundo de transformações. Atualmente, a tecnologia comanda os destinos daquela a que muitos especialistas já chamaram de quarta revolução industrial. Automatização, plataformas avançadas que agregam inteligência artificial, machine learning e tudo o mais que está ainda por vir.

 

Esta revolução obriga também as empresas a alterarem padrões de trabalho e a estudarem as suas mais-valias num contexto cada vez mais exigente, não só a nível tecnológico, mas também na relação com os clientes. O caminho deve ser bem planeado, devidamente orquestrado e com o conjunto de talentos que detenham as competências e a experiência potenciadoras do seu sucesso. A seleção do parceiro certo para a transformação digital faz toda a diferença nos resultados, ainda que não exista uma solução única. Cada caso é um caso, pelo que são as pessoas o grande motor de uma transformação digital eficaz, nomeadamente a sua capacidade de analisar e agir.

 

Assim, como escolher um parceiro para a Transformação Digital? Partilhamos alguns fatores a ter em consideração.

 

1. Histórico em transformação digital

 

O mundo digital está repleto de empresas que dizem atuar ao nível da transformação digital, mas como saber se são adequadas para a sua organização? Para reduzir o leque de escolhas, comece por avaliar o histórico de cada uma, conhecer os profissionais e as metodologias e quais os projetos implementados. Não avance sem saber um pouco mais sobre as ferramentas utilizadas e qual a abordagem a nível de integração de sistemas e segurança, nomeadamente se a empresa tem certificações relevantes para o projeto, como a acreditação CMMI para desenvolvimento de aplicações e a ISO 27001, a norma padrão para a segurança da informação.

 

É fundamental selecionar um parceiro com uma abrangência completa, que inclua a fase de diagnóstico, consultoria, otimização e automatização de processos, sugestão e implementação de soluções tecnológicas, apoio técnico e formação. Ou seja, ter uma equipa multidisciplinar com todas as valências necessárias, incluindo a gestão do próprio projeto.

 

2. Alinhamento é chave

 

Bem sabemos que a diversidade de opiniões e de pontos de vista é um fator positivo para a fomentar a transformação, até porque esta diversidade pode ajudar a agregar perspetivas diferentes potenciadoras de novas iniciativas de transformação digital.

 

Em relação ao alinhamento com o parceiro de transformação digital é necessário estabelecer um relacionamento construtivo. É importante que a organização acredite na estratégia definida sob pena de não vir a ser capaz de articular e colocar em prática os seus objetivos de transformação.

 

3. Conhecimento do setor

 

Ser uma empresa de referência em matéria de transformação digital é muito relevante, mas não chega. Ao mesmo tempo, o parceiro deverá conhecer muito bem as particularidades do setor onde a sua organização atua. Privilegie quem já tem projetos bem-sucedidos nesse âmbito e, se possível, visite-os e fale com os seus responsáveis.

 

4. Capacidade de resposta

 

Importa ainda analisar os tempos de resposta do futuro parceiro em picos específicos de trabalho, o grau de disponibilidade e a agilidade na resolução dos problemas. O parceiro deverá estar preparado para agir sempre que necessário e ter uma postura de proximidade e compromisso.

 

5. Motivação

 

Embora subjetiva, esta é uma informação importante, pois as parcerias são, em grande parte, uma relação de troca que se pretendem vantajosas para as duas partes. Ou seja, só são válidas e produzem bons resultados se todos ganharem com ela. Deverá haver uma postura positiva e de entreajuda de ambas as partes, em que todos trabalham como uma equipa única e estão motivados para alcançar as metas definidas em conjunto.

 

Como fazer e com que investimento?

 

Agora que já explorámos o que ter em conta na escolha do parceiro certo para ajudá-lo a estruturar, acelerar e materializar a transformação digital, como se transforma digitalmente uma organização? Para esta pergunta as respostas podem ser múltiplas, tudo depende dos objetivos traçados. Tendo em conta a dimensão e estado de maturidade da organização, a as iniciativas de transformação tanto podem passar pelo desenvolvimento de serviços digitais como um portal ou aplicação móvel, como por alterações mais profundas, tirando partido de tecnologias mais recentes, como a inteligência artificial.

 

Por esta altura estará já a fazer contas ao que vai gastar. Mas saiba que, nem sempre é necessário um orçamento muito elevado para conseguir bons resultados. De qualquer forma, qualquer investimento em iniciativas de transformação digital é largamente compensado pela otimização de recursos que resulta de todo o processo.

 

Se depois de ler o texto, ainda ficou com duvidas, a Opensoft pode esclarecer qualquer questão. Assumindo-se como um parceiro de excelência em matéria de transformação digital, com um vasto conjunto de competências e experiência em setores críticos da economia, a Opensoft está pronta para levar a sua organização a um novo patamar de agilidade. Conte connosco!

 

 

Sem comentários

Deixe um comentário

Comentário
Nome
Email
Website