Integração de sistemas: como integrar os velhos e os novos sistemas?

Opensoft > Blog  > Integração de sistemas: como integrar os velhos e os novos sistemas?

Integração de sistemas: como integrar os velhos e os novos sistemas?

 

A modernização de sistemas que são utilizados há vários anos numa organização é uma tarefa desafiante, mas importante para não se correr o risco da organização se tornar obsoleta. Por um lado, proceder a alterações em sistemas desenvolvidos há muito tempo traz dificuldades, por exemplo nos conflitos que possam surgir com a introdução de novas funcionalidades. Por outro, não é produtivo utilizar um sistema que não satisfaz as necessidades reais da organização.

 

Ainda existem muitas organizações (especialmente na banca e na administração pública) que possuem sistemas muito antigos para gerir funções essenciais do negócio, como a gestão de pagamentos. Ao longo dos anos, estes sistemas foram dotados de novas funcionalidades, implementadas à medida das necessidades de cada organização.

 

Apesar dos sistemas antigos serem alvo de atualizações, a verdade é que a sua evolução quase sempre traz à equipa de desenvolvimento alguns constrangimentos, como a dependência do sistema em tecnologias obsoletas ou a inexistência de documentação que auxilie as equipas na resolução dos problemas atuais. Tendo em conta estes constrangimentos, a organização pode ponderar construir um sistema de raiz, mas chegar a uma situação de impasse, pelos elevados custos que implica.

 

No entanto, nem sempre é necessário construir um novo sistema para integrar novas funcionalidades e garantir a evolução do negócio. Como? O segredo passa pela integração de sistemas.

 

Velho combina com novo?

 

A integração de sistemas permite a atualização das funcionalidades de sistemas antigos, robustos e com muitos anos de utilização (denominados de legacy systems), através da integração com novos sistemas, desenvolvidos para complementarem as funcionalidades desses sistemas. Tudo isto é possível sem os inconvenientes de construir um sistema a partir do zero e sem afetar as operações do dia-a-dia.

 

Ainda que, em muitos casos, a solução mais imediata para a atualização dos legacy systems seja construir um novo sistema, nem sempre esta opção é a mais rentável e vantajosa. Se um sistema executa eficazmente determinadas operações há tantos anos, para quê mudar? Assim, antes de qualquer decisão, é importante que seja realizada uma avaliação cuidada do sistema e depois seja desenhada a melhor forma de integrar o sistema velho com um novo, por exemplo, através da utilização de Web services.

 

Transformar o velho em algo novo

 

Ao construir um sistema de raiz, a organização não vai aproveitar uma aplicação que já disponibiliza as funcionalidades necessárias à sua atividade. Além disso, o desenvolvimento de um novo sistema vai prolongar o tempo de espera até que as novas funcionalidades sejam implementadas.

 

A integração de sistemas, além de aproveitar o sistema existente, permite que a equipa de desenvolvimento esteja focada no desenvolvimento de uma parte específica do sistema (a que vai disponibilizar as novas funcionalidades), o que implica que o tempo de desenvolvimento é mais curto. Além disso, quando feita de forma eficiente, a integração de sistemas garante que o sistema pode crescer ao ritmo do negócio, evitando que a organização fique presa ao passado.

 

Os legacy systems que são alvo de melhorias e modernização através da integração com outros sistemas ganham ao nível do processamento de dados, lógica do negócio e usabilidade. Tudo isto, sem o custo e o tempo de desenvolvimento de um sistema de raiz.

Sem comentários

Deixe um comentário

Comentário
Nome
Email
Website