A transformação digital falha, mas há ações para o evitar o insucesso

Opensoft > Blog  > 
A transformação digital falha, mas há ações para o evitar o insucesso

A transformação digital falha, mas há ações para o evitar o insucesso

 

As organizações estão cada vez mais focadas nos seus processos de transforação digital, mas nem todas estão a atingir os resultados pretendidos. A verdade é que a transformação digital falha: estima-se que cerca de 60 a 80% dos processos não são bem-sucedidos.

 

Não vale a pena esconder: os processos de transformação digital são difíceis, porque são muito mais do que automatizar um processo ou reduzir o uso do papel. É preciso mudar de forma estrutural, é preciso criar valor. A digitalização ou a automação não criam valor por si mesmas, simplesmente aumentam o valor que já existe no negócio.

 

Como é possível aumentar a taxa de sucesso das iniciativas de transformação digital? Como sempre, cada organização é única, mas há algumas ações que podem ajudar.

 

Defina os objetivos de forma clara

 

Quando as organizações decidem iniciar uma resposta à disrupção digital, por norma, enfrentam muitas decisões difíceis. O que devem fazer? Transformar os modelos de negócio existentes ou mudar radicalmente para um novo? Quais as áreas de negócio que vão exigir mais investimento em iniciativas digitais e quais aquelas que vão ser colocadas em segundo plano, uma vez que existem novas prioridades? E como eliminar o fantasma “a transformação digital falha”?

 

Chegar a um consenso acercas das iniciativas de transformação digital a executar pode ser um desafio, mas vale todo o esforço. Definir bem os objetivos e garantir que estão alinhados com a vontade dos líderes da organização é meio caminho para atingir o sucesso. A par da definição dos objetivos é também necessário que se façam projeções do impacto das iniciativas a curto e longo prazo.

 

Não deixe que as limitações sejam um entrave

 

Quando se promovem iniciativas de transformação digital, a visão do projeto pode ser distorcida por limitações do negócio, por exemplo sistemas legacy difíceis de manipular ou integrar.

 

Neste caso, é necessário pensar a abordagem digital de forma mais ampla possível. Em vez da organização se focar nos benefícios imediatos ou óbvios, deve conceber estratégias digitais ousadas no seu âmbito e extensão. Como se traduz isto? Uma forma é que cada iniciativa sirva para otimizar ao máximo cada processo ou área da organização e não o faça apenas de forma superficial, por exemplo quando se passa do papel para o digital deve-se pensar em outras coisas que podem ser melhoradas, além da eliminação do papel.

 

Tenha atenção ao alinhamento das iniciativas

 

O alinhamento das iniciativas com a liderança da organização é essencial para que os objetivos da transformação sejam atingidos. Uma forma de garantir esse alinhamento é demonstrar aos líderes, através de um relatório bem estruturado e detalhado, quais as vantagens e ganhos para o negócio de todas as iniciativas.

 

Uma vez que os processos de transformação exigem, normalmente, gastos consideráveis, esta pode ser a diferença para garantir o apoio da direção da organização. É importante que a organização se sinta confortável quer nas iniciativas previstas, quer nas despesas necessárias para as concretizar.

 

Adote metodologias ágeis

 

As transformações digitais bem sucedidas têm, muitas vezes, um aliado: a incorporação de metodologias ágeis. Estas metodologias têm como elo comum fomentar a inovação, a tomada de riscos e a colaboração entre todas as áreas do negócio.

 

As metodologias ágeis promovem também interações rápidas baseadas em feedback não só da organização, mas também do cliente, o que ajuda ao sucesso da transformação digital.

 

É também importante ter em mente que gerar valor deve ser o objetivo de qualquer iniciativa de transformação digital. Assim, cada organização deve apostar nas iniciativas que irão transformar mais o negócio e avaliar se cada uma dessas iniciativas alcança os objetivos definidos. Quando isso não acontece, as organizações devem parar, pensar se é possível uma nova abordagem ao problema e, caso não cheguem a uma conclusão, avançar para outra.

 

Uma das formas de conseguir gerir todas as iniciativas é procurar ajuda. Aquisições, fusões ou parcerias com outras empresas têm sido uma forma das organizações ultrapassarem estes constrangimentos. Afinal, a transformação digital não é um fim, mas sim um caminho.

 

 

2 Comentários
  • Jorge roque
    Responder
    Posted at 11:19, 25 Julho, 2019

    Gostei imenso do artigo.

    Tenho uma questão, como implementar de forma assertiva metodologias ( agile, scrum etc…) em estruturas demasiadamente rígidas?
    Como fazer com que os líderes e liderados andem de mãos dadas para uma transformação digital efectiva?

    • Ana Marques - Opensoft
      Responder
      Posted at 11:58, 25 Julho, 2019

      Caro Jorge,

      Obrigada pelo seu comentário.

      As questões que coloca dependem de cada organização, mas relacionam-se com a necessidade de mudar a cultura da empresa e evitar que exista uma resistência à mudança. Nesses casos, é muito importante envolver a equipa desde o primeiro momento, explicando o que vai acontecer e fornecendo formação em novos sistemas que possam surgir.

Deixe um comentário

Comentário
Nome
Email
Website